Metrô sai dos trilhos e assusta passageiros em Salvador

Metrô sai dos trilhos e assusta passageiros em Salvador

0 410

Depois de cinco meses em funcionamento sem problemas aparentes, o metrô de Salvador assustou passageiros na manhã desta terça-feira, 4, após o descarrilamento do último vagão da composição. O incidente ocorreu por volta das 10h30 em uma bifurcação após a estação do Retiro e perto do Acesso Norte.

A contadora Alaíde Macedo, que estava a bordo, disse que os passageiros tiveram que descer nos trilhos e fazer o restante do percurso caminhando. “Ouvimos um tombo, ficamos assustados, mas os funcionários nos orientaram a sair em fila e nos conduziram até a estação”.

Em nota, a CCR Metrô Bahia informou que um problema técnico fez com que o último carro da composição mudasse de via, na altura do trecho onde estão sendo feitas as obras de ligação entre a linha 1 e linha 2.

Ainda segundo a concessionária, havia cerca de 40 pessoas no último carro do metrô, mas ninguém ficou ferido com o acidente. As causas do descarrilamento estão sendo apuradas pela concessionária do sistema.

Por conta do incidente, o serviço está suspenso entre as estações Acesso Norte e Retiro. O transporte neste trecho está sendo feito por micro-ônibus gratuitos disponibilizados a cada dez minutos pela concessionária CCR Metrô Bahia.

O estudante Jutair Júnior Silva, 26, que usa o transporte frequentemente, disse se sentir inseguro após o ocorrido. “Eles têm que explicar direito o que aconteceu, para que a gente volte a ter confiança”, opinou.

Após o incidente que resultou no descarrilhamento do metrô de Salvador, na manhã desta terça-feira, 4, o estado voltou a acusar a prefeitura municipal de dificultar a integração operacional e tarifária do modal com os ônibus do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador (STCO).

Segundo nota da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), o poder municipal não tem se disponibilizado a dialogar e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps) tem dificultado o relacionamento com a CCR Metrô.

Ainda de acordo com a nota, a prefeitura não liberou alvará para início das obras da linha 2, o que está atrasando o cronograma. O titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Transporte (Semut), Fábio Mota, negou a versão do estado. Segundo ele, a Semut participou das reuniões e de uma visita técnica feita com a concessionária.

“Estamos com o planejamento de integração pronto, mas constatamos que há problemas de acessibilidade dos ônibus às estações do Retiro e Acesso Norte, por exemplo. Encaminhamos relatório à concessionária e aguardamos retorno”, explicou.

Conforme Mota, seria necessário deslocar 300 linhas, ou seja, 900 ônibus para as estações, o que causaria impacto aos passageiros e ao trânsito”, afirmou.

Segundo nota da Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom), não há atrasos na emissão do alvará. A assessoria alega que, por se tratar de um projeto de grande porte, foram feitas minuciosas análises técnicas, já concluídas, e agora o projeto encontra-se na Semut.

Já Fábio Mota diz que o projeto está sendo analisado. “Demanda tempo porque alguns trechos terão que ser interditados. Se a prefeitura não quisesse que o metrô funcionasse não o teria passado para o estado”, completou.

Fonte – Atarde